Páginas

segunda-feira, maio 31, 2010

domingo, maio 30, 2010

Coisas simples da vida


A imagem ao lado é do confortável e sofisticado quarto do Hotel Ponta dos Ganchos, em Florianópolis, onde passei o final de semana para um encontro de executivos organizado pela Consulting House.
Lamentavelmente o tempo não estava tão ensolarado como o da foto. Mas a jacuzzi, a sauna e o home theater (tudo no próprio quarto), em boa companhia, compensaram com folga esse pequeno detalhe.
Os casais participantes eram muito simpáticos e os encontros sociais (trata-se de um evento de marketing de relacionamento) foram bastante agradáveis.
Enfim, um gostoso final de semana de trabalho, de fazer inveja à maioria dos mortais.
Na volta, fiquei pensando como é bom saber aproveitar as coisas simples da vida.
E aí alguém poderia perguntar: o que é que tem de "simples" nisso ?
É uma boa pergunta ... e vale a pena gastar alguns minutos para tentar responder ...

quinta-feira, maio 27, 2010

Sombras








A angustia do escritor ...
A inspiração é o seu sol
As palavras são sua sombra

quarta-feira, maio 26, 2010

Espelho seu

Há muitos anos aprendi a fazer um exercício que considero interessante.
Sempre que me pego criticando alguma pessoa ou empresa (vale para o pessoal e o profissional) olho para mim (ou para a empresa onde trabalho) e procuro observar se não estou fazendo alguma coisa parecida.
Já não me surpreendo mais com meu telhado de vidro.
Hoje esse exercício levou-me a uma consideração interessante.
Observando o comportamento de um sujeito que considerei imaturo e com pouco controle emocional concluí que ele estava lidando mal com uma crise típica dos 40 anos, quando a gente se dá conta de o controle é uma fantasia. É quando concluímos que não temos controle sobre nada, e isso costuma ser muito frustrante.
Comecei a pensar nas minhas próprias crises históricas e fiz uma lista conceitual.
Na minha lista, a primeira crise acontece na tenra infância, quando começamos a nos dar conta de que o mundo não é uma extensão nossa. A mamadeira não vem parar na sua mão quando você quer ...
Tenho a impressão de que essa é um crise que todo mundo supera.
A segunda decorre da constatação de que não somos o centro do universo. O mundo não gira em torno de nós.
É o primeiro passo importante para o que chamamos de maturidade e, lamentavelmente, nem todos superam essa crise.
A terceira é, justamente, a que enfrentamos quando descobrimos que não somos capazes de exercer o controle que gostaríamos sobre as pessoas, as coisas e, no final daso contas, nem mesmo sobre nós mesmos.
Essa é ainda mais dificil de superar do que a anterior.
Quando cheguei nesse ponto da lista, considerei que o cidadão inspirador desta postagem não havia superado nenhuma das duas, e estava acumulando frustrações graves. Não estava surtando à toa, portanto.
E a quarta e última crise que conheço é a da constatação da finitude.
Não sei se alguém consegue superar essa última em sua totalidade.
Eu creio que superei as duas primeiras (apesar das acusações de narcisismo), ainda tenho algumas dificuldades importantes com a terceira (alguns anos de psicanálise ajudaram a elaborá-la) e, certamente, estou vivendo o auge da quarta.
Alguém se lembra de mais alguma crise genérica importante ?

Virtudes virtuais

Eu não estava chateado, mas se estivesse teria passado ...
Adorei as demonstrações de carinho dos amigos virtuais e presenciais nos comentários da postagem anterior ...
E depois ainda tem gente que fala mal das amizades feitas pela internet.
Está certo que eu mesmo não me satisfaço com relacionamentos puramente virtuais. Gosto de conhecer pessoalmente meus amigos do Arguta quando tenho oportunidade.
Mas que a comunidade blogueira, em geral, é constituída de gente bacana, eu não tenho a menor dúvida.
A camaradagem é uma das virtudes do ambiente dos blogs. E é a que eu mais gosto.
Um beijo para cada um, ao som das ondas de Copacabana.

terça-feira, maio 25, 2010

Eu e a minha grande boca ...

Se eu fizesse com a bola de voley o que faço com as palavras já estaria na seleção faz tempo ...
É compulsivo: se levantar, eu corto.
Um tal de Jota, que freqüenta o Arguta episodicamente, convocou-me (numa postagem anterior) a tratar do que chamou de "meu narcisismo doentio" (e acho que falou sério) ao que respondi que tinha outros defeitos mais importantes para cuidar antes.
Este é um deles.
Hoje, pela enésima vez, fiz uma brincadeira durante um jantar que foi muito mal aceita pela "vítima". Fazer o quê ? Ele levantou a bola !!!
Não era minha intenção chatear o senhor em questão, pelo que desculpei-me reiteradamente.
Mas voltei para o hotel onde estou pensando que, considerando o meu jeito de ser, até que isso ocorre com pouca freqüência.
Já experimentei comportar-me melhor, mas as relações sociais se tornam monótonas e artificiais se não posso ter a liberdade de brincar com as pessoas.
Até que convivo razoavelmente bem com as críticas, mesmo aquelas com as quais não concordo muito.
Não concordo com o Jota, por exemplo, que meu narcisismo seja doentio. Acabei de fazer um check up e a saúde está ótima. Mas é um direito dele identificar traços narcisistas em minhas postagens (se blogueiro não fosse minimamente narcisista teria um diário trancado na gaveta ao invés de um blog) e qualificar de doentia essa característica. Também é direito dele postar esse comentário no Arguta, já que este é um espaço aberto. E também é um direito dele continuar visitando o Arguta apesar dessa constatação.
Mas talvez seja justamente esse meu traço narcísista que me faça pensar sobre o assunto das brincadeiras com as pessoas. No fundo, não gosto de ser desgostado.
Mas ficaria desgostoso com a auto-censura.
E, convenhamos, eu passo o dia inteiro comigo ....

domingo, maio 23, 2010

Meio avoado ...

video

Para o pessoal que ficou curiso, fiz uma pequena edição da aventura aérea que comentei na postagem anterior.
O vídeo tem 4 minutos. Os dois primeiros são takes do passeio de balão. Os dois últimos mais parecem meus últimos minutos ...

sábado, maio 22, 2010

Dia interessante ...


Passear de balão e pular de paraquedas ....
Mais dois ítens do check-list de coisas interessantes para fazer na vida realizados.
Tá bom para um dia só, não ?

sexta-feira, maio 21, 2010

Alentandome

Um dia ainda vou morar numa praia
Acordar com o sol todas as manhãs
Correr na beira do mar
E mergulhar suado
Ao encontro do som que embalou a noite
Enquanto isso
Sonho acordado
E reclamo deste tempo besta

quarta-feira, maio 19, 2010

É o fim

Inspirado pela postagem do Marcos lá no "A hora do flush" sobre casamentos que acabam, resolvi falar um pouco sobre o assunto.
Muita gente se pergunta porque um casamento acaba e como podemos saber que, de fato, acabou.
Ninguém "de fora" pode saber exatamente um relacionamento acaba. As vezes nem mesmo quem está "dentro" sabe.
De conversas, observações e experiência própria, vejo que existem algumas razões recorrentes.
A primeira e mais comum é o que chamaria de "erro de pessoa", que se caracteriza quando descobrimos que a pessoa com quem casamos não é como (ou quem) pensávamos que era.
A segunda é que as pessoas mudam com o tempo, e suas neuroses, antes complementares, passam a originar atritos que desgastam a relação.
A terceira, mais rara do que se pensa quando não associada a uma das duas primeiras, é o acontecimento de uma outra pessoa para um dos parceiros.
A quarta, e talvez mais cruel de todas, é a incapacidade do casal de superar uma crise pessoal, de um ou de outro.
E as outras razões que tive a chance de conhecer são muito específicas e estatisticamente pouco significativas.
Saber quando acabou, na minha opinião, é mais fácil.
Creio que um relacionamento acaba quando pelo menos um dos parceiros decide, com clareza e segurança, que não quer mais continuar casado.
Querer casar ou continuar casado não é uma decisão simples. Decidir terminar uma relação, posso dizer por experiência própria, é ainda mais complicado.
Mas o que sempre me espanta é o que acontece depois que um relacionamento termina.
Reconheço que o fim de um relacionamento longo e importante é um dos maiores traumas que podemos viver. Um relacionamento que termina é quase sempre percebido como o fim de uma história e a morte dos sonhos, e sentido como uma enorme perda.
Entretanto, é dificil entender como é que pessoas que partilharam, com amor, boa parte de suas vidas, passam a trocar agressões das mais diversas naturezas.
Mulheres que esquecendo seu discurso histórico de emancipação e independência, se sentem no direito (ou dever) de tirar tudo o que puderem de seus ex-maridos, seja como punição, seja sob a desculpa de que estão "protegendo" seus filhos da próxima aproveitadora...
Homens que infernizam a vida de suas ex-esposas das formas mais pitorescas e deprimentes, muitas vezes chegando à agressão física.
E os filhos, pobres filhos, raramente são poupados do papel de armas nas mãos dos ex-pais.
Admiro as poucas exceções que conheci.

terça-feira, maio 18, 2010

Coisas da noite em casa

Lembranças, saudades, vontade de comer chocolate, preguiça de sair, preguiça de ficar, zapping, livro, música, café, cigarros, TV, banho quente, mais preguiça, pensamentos desconexos, blogs, torpedos da namorada, telefonema do filho, mais preguiça, mais café e algum chocolate (sobras de páscoa), pilha de papeis para arrumar, preguiça .....

segunda-feira, maio 17, 2010

Vovô vence o Google

Assim, do nada, lembrei-me de uma expressão que meu avô costumava usar em momentos de indignação:
- O catso do capegatso !!!!
Como a expressão sempre teve, para mim, um significado próprio, nunca havia me preocupado em descobrir o que era, afinal, um capegatso.
Hoje, assaltado pela minha habitual curiosidade, e considerando que estamos na era DG (depois do Google), resolvi procurar. E, surpresa: o google "não encontrou nenhum documento correspondente".
Diante da sugestão de tentar palavras-chave mais genéricas, digito "vovô costumava dizer quando ficava indignado", sem sucesso. Nem essa e nem nenhuma outra expressão interessante de avôs indignados foram apresentadas.
Concluo que vovô inventou uma palavra totalmente nova e sem aproximações identificáveis pelo principal mecanismo de busca do planeta.
Não é do grande capegatso ?!?!

Pensamento matinal

Dentro de mim tem um sujeito que gosta de acordar cedo, mas ele ainda não acordou ...

sábado, maio 15, 2010

Sobre títulos e pessoas

Outro dia, um executivo amigo meu foi levar um cliente que visitava o Brasil para conhecer a "noite paulistana".
Ambos razoavelmente bem apessoados e elegantemente vestidos fizeram sucesso na balada animada.
Meu amigo, entretanto, divertia-se dizendo às garotas que se aproximavam do par que ele era o guarda-costas do cliente. Como estava usando um blazer preto e camisa escura, as garotas "compravam" a história e, rapidamente, se desinteressavam por ele, dedicando-se a seduzir o cliente que, além de executivo rico (já que tinha guarda-costas), falava com um charmoso sotaque espanhol.
Curioso como o título de guarda-costas, apesar das eventuais fantasias femininas, tinha o poder de limitar a percepção das mulheres.
Meu amigo é um sujeito razoavelmente bonito, inteligente e divertido. Caso tivesse se apresentado como executivo, certamente seria tão ou mais assediado quanto o seu cliente.
Mas não vamos nos limitar nossas considerações às garotas em busca de um potencial candidato ao acasalamento.
Esse é um aspecto cultural da sociedade em que vivemos.
Somos avaliados (e avaliamos as pessoas) pelo cargo, atividade, posição social ou sinais de riqueza externa.
Chato, não ?

sexta-feira, maio 14, 2010

Semi-epístola

Era um sujeito cheio de predicados.
No emprego, um subordinado com adjetivos
Em casa, invariável, com adverbial preposição, nunca mereceu pífia interjeição.
Entretanto, com paradoxal ambiguidade e hiperbólica ironia, perifraseou-se: conjugou-se com a Antonomásia.
Paradoxo sem oximoros.... Uma catacrese !
Exposto, quedou-se alí, anacoluto e zeugmático.
Restou-lhe, em epizeuxis, o vocativo da amada que se elipsara....

quinta-feira, maio 13, 2010

terça-feira, maio 11, 2010

Pensamento da noite

Pensando bem, é ótimo que parte da humanidade concorde em ser mulher ...

segunda-feira, maio 10, 2010

Carroças francesas


A Peugeot chilena que costumava importar o modelo 207 do Brasil resolveu passar a importar da França, alegando melhor qualidade de fabricação e maior quantidade de equipamentos.
O carro básico será vendido por R$ 25.000,00, uns 30% mais barato do que pagamos pelo modelo rejeitado aqui no Brasil.
Isto considerando que os trabalhadores franceses ganham em euros e o carro tem que ser transportado de navio até o Chile (talvez passando pelo Brasil no caminho).
Ou seja, entra governo, sai governo e continuamos com uma idustria pouco competitiva internacionalmente.
Talvez seja melhor assumir logo e tentar exportar carroças. A competição será menor.

domingo, maio 09, 2010

Dia das mães ?????

Luiz, o advogado, faz suas considerações sobre a complexidade do dia das mães para os garotos, lá no Vestiário Masculino.

De mim para comigo

Jantar frugal: preparei um capelete de queijo ao molho de tahine puxado no curry com uma pitada de canela e servido com raspas de castanha do Pará.
Fiquei com a sensação de que gosto de mim ...

sábado, maio 08, 2010

Paradoxo da amizade

Um inimigo em comum é mais eficiente para criar amizades do que um amigo em comum.

sexta-feira, maio 07, 2010

Mãe engenheira


Como costuma dizer uma amiga mãe-engenheira, a melhor fase da meternidade é a pré-produção. Depois disso, a gestação do produto é desconfortável e ele requer manutenção intensiva por um período muito longo...
Feliz Dia das Mães para as que já o são.
E bom divertimento para as que estão tentando.

Sou só eu ?




.... que acho essas duas parecidas (Uma Thurman e Winona Ryder) ?

quinta-feira, maio 06, 2010

Aqui e agora

Já sentiu um momento de felicidade fugaz ?
Sem razão, sem estímulo aparente ... apenas uma sensação súbita de felicidade, que vem, toma conta de você, arranca um sorriso gostoso e some assim como veio, deixando um gostinho bom ... ?
É parecida com aquela sensação que você tem quando sai com uma pessoa pela primeira vez, passa momentos gostosos e, quando vai se despedir, acontece um beijo que você esteve esperando, assim meio de surpresa, e depois cada um vai para o seu lado, sorrindo e já pensando no próximo encontro.
Acabei de ter uma sensação assim, bem no meio do caminho entre a cozinha e o sofá da sala ...
Fechei os olhos, sorri e guardei.
Uma boa noite para vocês também !

quarta-feira, maio 05, 2010

A verdade em 3 linhas

Há males que vem para bem
Mais feliz
Quem não os tem

Vestiário Masculino voltou ...

Caros leitores do Arguta Café ...
Informo que o blog Vestiário Masculino reabriu, ainda sem novas postagens.
Como está em novo endereço, os seguidores precisam se re-apontar.
É só clicar no link Vestiário Masculino ...

terça-feira, maio 04, 2010

Flashforward

Eis-me aqui assistindo mais um episódio aleatório de Flashforward, a nova série do AXN ...
Por um lado, o vício profissional me leva a fazer uma avaliação crítica da série e entender porque os quinze primeiros minutos do capítulo foram dedicados à explicação do que estava acontecendo, com um locutor de fundo (voice over) esforçando-se para que tudo pudesse fazer sentido ... (sorte minha).
É uma série muito confusa para ser acompanhada por quem perdeu os primeiros episódios e não tem o mesmo charme de Lost, que padecia do mesmo mal, mas se tornou uma "febre".
Livre da neurótica compulsão avaliativa, dedico-me a pensar como seria se tivessemos, como aconteceu com os personagens da série, um vislumbre do futuro.
Observar-nos num futuro próximo nos permitiria fazer algo hoje para mudá-lo, caso não nos agrade.
A série gira em torno disso, e do mistério em sí (toda a população do planeta teve essa visão simultaneamente, e tem uma turma fazendo de tudo para descobrir o porquê).
No mundo real, de certa forma é possível fazer isso. Observar o mundo e avaliar nossas ações no contexto do "movimento do universo" torna possível imaginar o que vai acontecer no futuro.
E poderíamos mudar, caso essa visão probabilistica não nos agrade.
A verdade é que muitas vezes preferimos ignorar essa "capacidade" antecipativa e deixar como está para ver como é que fica ...
E, depois, nos apresentamos como vítimas do destino.
Curioso ...

Mercado de luxo

Andam dizendo por aí que o mercado de luxo está em alta.
A foto (do UOL) mostra algumas armas aprendidas no México, feitas de ouro, prata e diamantes.
As gangues de lá capricham mais no atendimento aos clientes.

segunda-feira, maio 03, 2010

Pensamento da manhã

DECIFRA-ME ... E TE DEVORO.

(inspirado na postagem da Vivian no blog Alma Nua)

domingo, maio 02, 2010

Pais do futebol ?

Nos blogs, tá todo mundo falando de política ...
Esqueceram que tem copa do mundo antes da eleição ?
O Brasil é mundialmente reconhecido como o país do futebol e das mulheres que desfilam semi-despidas no carnaval.
Quem não mora por aqui ainda não sabe que tanto o futebol como o carnaval já deixaram de ser o que eram. Perderam a espontaneidade e viraram uma mistura de política e negócios.
As mulheres continuam sensuais, mas isso não tem qualquer relação com a nudez do carnaval.
Aliás, sempre achei estranho esse espanto com a nudez carnavalesca, uma vez que as européias se despem com singular tranquilidade nas praias e saunas.
Conclui que isso se deve ao fato de que uma mulher brasileira vestida é mais sensual do que uma européia nua.
Mas voltemos ao que é sério ... Ninguém está discutindo a escalação da seleção.
Será que é porque o Lula é mais carismático do que o Dunga ?
Ou seria porque imaginamos que o resultado desta copa já foi negociado para garantir a realização da próxima em terras tupiniquins ?
A hipótese mais aterradora é que estejamos, finalmente, desenvolvendo uma consciência política.
É possível, embora improvável.
Vou continuar observando ...